Como circular nas rotundas

Fevereiro 7, 2008 Vice

Ele há por aí condutores que para além de meter mudanças e acelerar, pouco mais sabem.

Um dos casos mais flagrantes é a circulação nas rotundas quando as mesmas possuem duas ou mais faixas. É o caos. Entram directos ao meio e saem do outro lado no fim de efectuarem um movimento quase rectilíneo. Ou então dá-lhes para dar uma volta quase completa sempre pela faixa da direita!

E quando nos aparecem de frente?! Quem lhes ensinou a circular numa rotunda no sentido contrário? É de bradar aos céus.

Para aqueles que não sabem, ou que andam esquecidos, aqui vos deixo a forma correcta de circular numa rotunda. Assim evitam ouvir alguns impropérios, mas atenção...

Nota importante: Tenham em atenção que o condutor que circula mais no interior da rotunda perde (estupidamente) a prioridade para o que circula à sua direita. Isto quer dizer que um condutor pode efectuar uma volta total na faixa da direita, obstruindo assim a passagem aos veículos que circulam no interior e que pretendam sair, e indo também contra o que a extinta DGV aconselha, mas em caso de acidente o culpado é quem circula mais ao meio!!
A polícia também interpreta daquela forma por isso, como o Zé Tuga é um povo burro teimoso, circulem da forma que lhes evite problemas. Acho que está tudo dito.

Circulação em rotundas

Tendo em conta as disposições aplicáveis do Código da Estrada, na
redacção que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei nº 44/2005, de 23 de Fevereiro, constantes dos artºs 13º, nº 1; 14º, nºs 1 a 3; 15º, nº 1; 16º, nº 1; 21º; 25º; 31º, nº 1, c) e 43º e as definições referidas no artº 1º do mesmo Código, na circulação em rotundas os condutores devem adoptar o seguinte comportamento:

1. O condutor que pretende tomar a primeira saída da rotunda deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via da direita, sinalizando antecipadamente quando pretender sair.

2. Se pretende tomar qualquer das outras saídas, deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via de trânsito mais adequada em função da saída que vai utilizar; Aproximar-se progressivamente da via da direita; Fazer sinal para a direita depois de passar a saída imediatamente anterior à que pretende utilizar; Mudar para a via de trânsito da direita antes da saída, sinalizando antecipadamente quando for sair.

Sinalização de manobras:
Todas as manobras que impliquem deslocação lateral do veículo
decorrente da mudança de via de trânsito ou saída da rotunda devem ser previamente sinalizadas.

SINALIZAÇÃO DE ROTUNDAS

Introdução

O recurso cada vez mais frequente à construção de rotundas e a recente definição de novas regras de circulação nestas intersecções, que impõem o dever de ceder passagem a quem entra na rotunda, determinaram a necessidade de elaboração do esquema de sinalização em anexo, aplicável às situações mais frequentes e orientador da aplicação nos restantes casos.

Importa ter presente que a aplicação da nova regra de cedência de passagem nas rotundas, nos termos previstos na al. c) do n.º 1 do art.º 31º (1), conjugado com a al. s) do art.º 1º (2), ambos do Código da Estrada, implica a obrigatoriedade de colocação do sinal D4 - rotunda.

A colocação do sinal D4, conjugado com a regra do art.º 31.º do CE, dispensaria a utilização do sinal B1. Todavia, entende-se que este sinal deve ser colocado, como reforço, e também porque a regra que vigora em Portugal não é idêntica à da generalidade dos outros países da Europa e os condutores não residentes devem ser adequadamente informados, por via da sinalização, da obrigação de ceder passagem à entrada da rotunda.

A sinalização constante do esquema anexo é aplicável na generalidade das rotundas não semaforizadas, independentemente da sua configuração e do número de estradas/arruamentos de acesso.
(1) Deve ceder passagem o condutor que entre numa rotunda
(2) Rotunda: praça formada por cruzamento ou entroncamento, onde o trânsito se processa em sentido giratório

1. Sinalização Vertical

D4 - Rotunda
Deve ser colocado o mais próximo possível da rotunda, por forma a ser facilmente visível pelos condutores que se aproximam da rotunda.

B1 - Cedência de passagem
Deve ser colocado na proximidade imediata da rotunda, isto é, na posição correspondente ao local onde os condutores devem parar e aguardar a passagem dos outros veículos.
Pode ainda ser colocado a uma distância máxima da intersecção de:
- 50m fora das localidades;
- 25m dentro das localidades;
- ou se acompanhado de painel adicional Modelo 1 (indicador da distância), pode ser repetido a uma maior distância da intersecção, indicada no painel.
Os sinais D4 e B1 podem ser colocados no mesmo suporte.

B7 - Aproximação de rotunda
Deve ser colocado entre 150m e 300m da rotunda;
Caso as características da via não permitam a colocação àquela distância, deve ser utilizado o painel adicional Modelo 1, com indicação da distância à rotunda.

I2b – Pré-aviso gráfico de rotunda
Deve ser colocado nas proximidades da rotunda, com indicação dos destinos e a identificação das estradas que os servem.

D3a - Obrigação de contornar a placa ou obstáculo
Quando exista ilhéu direccional (3), deve ser colocado o sinal D3a na proximidade imediata do local onde a obrigação começa.
(3) Ilhéu direccional - zona delimitada na plataforma, interdita à circulação de veículos, que canaliza o tráfego para passagens bem definidas.

O6b - Baia direccional
Deve ser colocada na placa central da rotunda, em posição frontal relativamente aos condutores que nela entram, e pode utilizar-se individualmente ou em sucessão múltipla, em função das características de cada rotunda, designadamente do número de vias de trânsito de acesso.

O7a - Baliza de posição
Indica a posição e limites de obstáculos existentes na via e deve ser utilizada quando exista ilhéu direccional.

Nota: Repetição da sinalização
Sempre que exista mais de uma via de trânsito no mesmo sentido e ainda quando as condições da via o justifiquem, os sinais B1, B7 e D4 devem ser repetidos na lado esquerdo - Artigo 14º do RST.

>> Seguinte >>