PSP de Sintra votada ao abandono

Fevereiro 10, 2008 Vice

Este é mais um caso sórdido no nosso querido país. E não é com toda a certeza o único que envolve forças de segurança nacionais. Tratam assim quem tem de cumprir uma missão que não é nada fácil, e ainda há quem critique a nossa polícia.

Quando olho para as mordomias que têm os nossos ministros e afilhados, directores e administradores disto e daquilo, dá-me vontade de vomitar. Há sempre dinheiro para gastar seja em viaturas de luxo, seja em novo mobiliário, em viagens ditas oficiais, cartões de crédito sempre recheados, secretárias particulares, vassalos e sabe-se lá mais o quê.

Pobre povo que és tão tosco e tão fácil de enganar.

"Correio da Manhã
2008-02-08 - 00:30:00

Divisão de Sintra da PSP
Esquadra de Trânsito só tem paredes


A adaptação das vivendas a esquadra foi feita às custas dos agentes

A meia dúzia de secretárias foram cedidas pelos bombeiros. Mas não há cadeiras. Os quatro computadores foram trazidos pelos agentes. A fita métrica, comprada na loja chinesa. E se o espaço está apresentável, deve-se ao esforço dos polícias que, não só pintaram e fizeram obras, como compraram do seu bolso ou arranjaram de alguma forma os materiais para a esquadra.

Esta é a realidade da Esquadra de Trânsito da Divisão de Sintra da PSP, sediada em Algueirão-Mem Martins, já longe da pompa e circunstância das inaugurações oficiais para ‘inglês ver’.

Contrariando a posição oficial, chovem as queixas da falta de meios: a esquadra apenas tem uma viatura, não há motos e faltam rádios e coletes, “Em suma, não há praticamente fiscalização de trânsito no concelho de Sintra”, disse uma fonte, acrescentando que para as operações stop, os polícias chegam a ter de ir de comboio.

“A situação é de tal ordem que há agentes recém-formados que já querem sair da PSP, de tão desmotivados que estão. É um desbaratar de dinheiros públicos, por falta de condições para a execução dos trabalhos”, afirmou a referida fonte,

A Direcção Nacional da PSP, até à hora de fecho desta edição, não respondeu à solicitação de comentar a situação da esquadra de Sintra.

PSP NO VALE DA AMOREIRA SEM MATERIAL

Os agentes da PSP da Baixa da Banheira, Moita, efectuam serviço no problemático bairro do Vale da Amoreira sem comunicações, disse fonte da PSP, situação desmentida pelo Comando Distrital de Setúbal. Um elemento da PSP garantiu à Lusa que “existem várias anomalias em relação ao equipamento. As comunicações não funcionam da esquadra para os carros e vice-versa, os rádios não funcionam, o sistema informático não existe e os agentes utilizam os telemóveis pessoais para fazer os contactos”. Confrontado com esta informação, o comandante distrital da PSP, Matias David, afirmou que as informações não correspondem à verdade. “Existe um sistema de comunicações portátil com rádio, telefone e computador que realiza todas as funções com capacidade e qualidade. O sistema fixo tem maior fiabilidade e estamos a aguardar que seja instalado”, disse. O facto dos agentes utilizarem viaturas velhas, avançado por aquela fonte, foi também negado pelo comandante."