Preço do petróleo não aumentou

Maio 1, 2008 Vice

Pois de acordo com muitas das informações que prolíferam na internet, e como poderão constatar nos gráficos em baixo apresentados, o preço do petróleo mantém-se.

Na verdade, toda a comunicação social nos dá indicativos do aumento do barril de crude em dólares. Também para o nosso Governo e congéneres europeus lhes é salutar que assim seja. Engordam os governantes e as refinarias, emagrece o sujeitinho do costume: O Zé Tuga... pois é.

Quem souber ou se quiser dar ao trabalho de fazer as continhas, verá que pagamos práticamente o mesmo preço pelo barril de crude. Convém saber fazer a conversão entre o Dólar e o Euro, caso contrário não bate certo.

Quem já foi ao mercado dos cantilheiros e ciganos, já os ouviu concerteza a gritar pelo preço dos seus produtos. Dá a impressão de que todos têem o melhor artigo pelo mais baixo preço.

Pois com os nossos governantes a coisa não muda de figura. Apenas fazem com que os orgãos de comunicação social gritem por eles. O alarido é tal que o Zé Tuga pensa mesmo que o pobre Estado está a perder um dinheirão com a venda dos combustíveis.
Seguidamente vêem as petrolíferas dizer que para além do aumento do barril de crude também os impostos são muito elevados, pelo que não conseguem manter os preços, quanto mais pensar em reduzi-los.

E é neste jogo que reside a semelhança entre os ciganos, os que vendem nos mercados e feiras, e os que estão no poleiro, governantes e petrolíferas.

E os Tugas continuam a ver as telenovelas, o futebol e a ouvir cantar o fado... e, muito mais grave, a gastar o dinheirinho em combustível para ir de mini-férias aos fins-de-semana alargados, seja para o Algarve, Serra da Estrela, ou outro qualquer local, e a deslocarem-se para o local de trabalho de automóvel tendo, na maioria das situações, a possibilidade de optarem por um meio de transporte mais económico.

* Eis o câmbio EUR/USD, desde 1999 a 2008:

* Evolução do preço do petróleo desde 1994 (preços em USD):

* Pelo que temos:
- Em 2000, um barril de petróleo custava 63USD, ou seja, 70.00EUR (1.00Eur=0.90USD).
- Em 2008, um barril de petróleo custa 98USD, ou seja, 70.00EUR (1.00Eur=1.40USD).

* (Informação recolhida em vários sítios web)

Também o 'Açoriano Oriental' (http://www.acorianooriental.pt/) dedica um artigo ao aproveitamento do preço do petróleo:

"Ouro negro
2008-04-24 12:32

Quando, em meados deste mês, o preço do barril do petróleo atingiu os 116 dólares e mais alguns cêntimos, soaram, de novo, os alarmes e os media anunciaram, sem excepção, que o crude tinha atingido um novo máximo histórico.

Quando, em meados deste mês, o preço do barril do petróleo atingiu os 116 dólares e mais alguns cêntimos, soaram, de novo, os alarmes e os media anunciaram, sem excepção, que o crude tinha atingido um novo máximo histórico. E, de facto atingiu, em termos meramente nominais porque se formos a fazer as contas, como diversos analistas do sector e inúmeros economistas já o fizeram, vamos concluir que afinal....o preço do petróleo está mais baixo do que nos anos oitenta!
Existem diferentes cálculos e linhas de raciocínio para se poder comparar o preço do barril de petróleo hoje e no passado. Foi o que fez um analista do Deutsche Banck, citado pela revista The Economist. Segundo esse analista o anterior recorde atingido nos anos oitenta seria, a preços actuais, de 94 dólares por barril, se a referência de cálculo for o índice de preços no produtor; contudo, se for utilizado o índice de preços no consumidor então, o preço do barril vai ter que subir aos 118 dólares, para atingir um máximo histórico. Mas há outras contas que se podem fazer e todas elas, a fazer fé nas calculadoras dos especialistas, apontam para um dado concreto: o preço do petróleo em termos reais não atingiu ainda novos máximos históricos.
Em 1981, segundo a revista The Economist, o rendimento médio dos países do G7 dava para comprar 318 barris de petróleo; hoje, para manter esse valor o preço do petróleo teria que subir até aos 134 dólares por barril.
Em 1980 a despesa global com o petróleo representava 5,9 por cento do PIB mundial, actualmente essa despesa é de 3,5 por cento e se as contas da revista The Economist estiverem correctas vai ser necessário o preço do petróleo atingir os 150 dólares para que a despesa global volte a tocar nos 5,9 por cento do começo da década de oitenta.
É bom não esquecer que a moeda de referência ainda é o dólar norte-americano, que tem vindo sucessivamente a perder terreno para o euro ( longe parece estar o tempo em que a moeda única estava abaixo da paridade...mas não foi assim há tanto tempo), logo, quando pagamos 100 dólares por barril, estamos, na realidade, a pagar cerca de 60 euros.
Se o preço do crude tem que aumentar nos Estados Unidos, afinal é pago em dólares e a procura efectivamente aumentou, o mesmo já não se aplica na generalidade dos mercados da zona euro.
Alguém anda a encaixar fortes mais- valias com esta “dança” petróleo e euro vs dólar norte-americano. Ganham as petrolíferas, ganham os governos e ganham os especuladores profissionais. Perdem todos os outros, inclusive a OPEP, que nesta matéria pouco pode fazer perante as imposições dos gigantes que gerem, na realidade, o mundo do ouro negro.
Mas seria bom que não esquecessem a célebre frase de um antigo ministro saudita do petróleo : “ a Idade da Pedra não acabou por falta de pedra.).
Paulo Simões"

E agora pensem comigo: Porque razão foi multado e apreendida a viatura do cidadão português movida a óleo mineral supostamente porque não pagava o imposto referente àquele combustível e que ninguém sabe qual é? E porque razão são abafadas, ou mesmo aniquiladas todas as tentativas de obter um combustível alternativo ao petróleo e mais barato do que aquele?

Quando souberem digam-me porque eu não entendo!!!

E, já agora, vejamos também o artigo publicado no 'Diário de Negócios' sobre esta matéria:

>> Seguinte >>