Boicote aos Jogos Olímpicos na China

Abril 9, 2008 Vice

Engraçado como as pessoas têm a mania de que estão sempre certas. Não foi por acaso a pessoa da notícia que em baixo transcrevo que recebeu os tão certos Senhores Bush e Tony Blair nos Açores, dando o apoio de Portugal (quem é que o elegeu para lhe falar pelos portugueses num assunto desta natureza?) à guerra contra o Iraque?
E quão certos estavam? ZERO.

Lá vai novamente aquela figura tomar uma decisão em que a História provará, uma vez mais, que é errada. Afinal, que razão moral e humana é a favor da China para que tal decisão tenha sido tomada? Que se pode retirar das declarações que efectuou? O que a mim me parece é que o medo que esteve na origem das decisões tomadas quanto à invasão do Iraque, está novamente presente.

Enfim, há quem não aprenda com os erros.

Por mim, para o raio que parta a China e os chineses e todos os déspotas que não respeitam o seu semelhante.

"Jogos Olímpicos
07-04-2008 17:36
Durão Barroso contra Boicote

O Presidente da Comissão Europeia manifestou-se contra qualquer boicote aos Jogos Olímpicos, dizendo que não é possível isolar a China.

Os países do mundo não devem recorrer ao boicote, por causa da situação do Tibete.

Para o Presidente da Comissão Europeia, que falava numa conferência sobre a globalização na Faculdade de Letras da Universidade Nova, em Lisboa, as relações com a China devem-se basear na firmeza mas também no realismo: “Devemos ser firmes neste diálogo, mas não se pode ter a ilusão de que se pode isolar a China, porque a China é o maior país do mundo e nós precisamos da China para grandes dossiers globais.”

Durão Barroso recorda que entre esses assuntos, figuram questões ambientais e como “ a China é membro permanente do Conselho de Segurança, precisamos da China para combater as alterações climáticas, é absolutamente irrealista pensar que podemos ter uma política global de luta contra as alterações climáticas sem um país que já é o maior poluidor e que vai ser a primeira potência económica mundial. Temos que a envolver.”

O presidente do executivo comunitário considera que os Jogos Olímpicos são a oportunidade ideal para a China reflectir sobre o seu papel no mundo e sobre o respeito pelos direitos humanos, mas para isso é necessário que decorram num ambiente de festa.

“O mundo olha para a China e quer saber se é uma ameaça ou uma oportunidade. Nós queremos que seja uma oportunidade, queremos que aquilo que tem sido bom para os chineses, e que tem motivado a saída de milhões de pessoas da pobreza, seja bom para o resto do mundo. E para isso a China, que é o maior país do mundo em termos de população, e cada vez mais é provável que venha a ser a maior potência económica do mundo, deve dar também um contributo para a governação global, e também no respeito pelos direitos humanos. Porque se os jogos olímpicos são uma grande comemoração, são a maior festa mundial da juventude, é importante que esses Jogos Olímpicos se desempenhem num ambiente de festa e de comemoração e não num ambiente de tensão ou de repressão”, afirmou Durão Barroso.

FA"

Artigo da RR